Problemas do homem ligados ao uso de drogas

A maconha pode interferir no desempenho sexual de um homem? A resposta depende do tipo de maconha e quanto ele usa.

A maconha pode ter centenas de ingredientes e preparações variadas. Mas a chave para entender os efeitos da maconha é encontrada nos canabinóides, como o tetrahidrocanabinol (THC) e o canabidiol (CBD). Esses produtos químicos se ligam aos receptores canabinóides no corpo. É essa ligação que leva ao sentimento “alto” da maconha. A experiência de um indivíduo com a maconha dependerá do que está na mistura.

medico urologista

Para alguns homens, o sexo é melhor quando está alto. Eles podem se sentir menos ansiosos e menos inibidos, o que pode fazê-los aproveitar mais a experiência. Eles também podem ter melhor controle sobre a ejaculação.

A pesquisa também sugere que as pessoas que usam maconha fazem sexo com mais frequência do que as que não usam.

No entanto, a maconha também pode ter efeitos negativos na vida sexual de um homem. Alguns dos problemas mais comumente relatados incluem o seguinte:

  • Baixo desejo
  • Problemas para obter uma ereção
  • Ereções fracas
  • Problemas para atingir o orgasmo
  • Ejaculação precoce
  • Julgamento pobre
  • Sexo inseguro

Especialistas dizem que os usuários de maconha mais pesados ​​são mais propensos a ter problemas sexuais do que aqueles que usam pequenas quantidades de vez em quando.

Ainda assim, as pessoas que sentem que o consumo de maconha está causando problemas sexuais (ou se tornando excessivas em geral) são encorajadas a falar com seu médico.

Para os jovens, as tendências mudaram

terapia sexual

Vestuário, penteados e tendências musicais mudam para os jovens, e novas pesquisas sugerem que as práticas sexuais também o fazem.

Os cientistas analisaram recentemente os resultados de três versões dos Inquéritos Nacionais de Atitudes Sexuais e Estilos de Vida, concluídos em 1990-1991, 1999-2001 e 2010-2012 por mais de 45.000 pessoas na Grã-Bretanha. Para este estudo, os pesquisadores se concentraram nos resultados de 4.449 homens e 5.470 mulheres entre as idades de 16 e 24 anos.

O estudo concentrou-se nas relações heterossexuais, pois não havia dados suficientes para analisar as experiências do mesmo sexo.

Para os entrevistados que fizeram sexo no ano anterior, o sexo vaginal e oral foram as atividades mais comuns. Durante o ciclo de pesquisa de 1990-1991, um em cada dez homens e mulheres tiveram sexo vaginal, oral ou anal. No período de 2010-2012, isso aumentou para cerca de um em cada quatro homens e uma em cada cinco mulheres.

Ao considerar as idades medianas de primeiras experiências sexuais (como beijar) e primeiro intercurso, os pesquisadores voltaram ainda mais longe. Na década de 1930, homens e mulheres tiveram suas primeiras experiências por volta dos 16 anos (idade mediana). A primeira relação sexual aconteceu por volta dos 19 anos para homens e 20 anos para mulheres.

Na década de 1990, homens e mulheres tinham cerca de 14 anos (idade mediana) quando tiveram suas primeiras experiências sexuais e 16 na primeira relação sexual.

Aprender mais sobre tendências sexuais pode ajudar os profissionais de saúde a educar os jovens sobre sexo seguro, consentimento e comunicação, disseram os pesquisadores.

O estudo foi publicado em dezembro de 2017 no Journal of Adolescent Health.