CONVENIÊNCIA FOTOVOLTAICA VALE A PENA INVESTIR?

Conforme anunciado anteriormente pelo GSE, os incentivos para o quinto Conto Energia foram encerrados. Os 6,7 bilhões disponibilizados pelo decreto ministerial de julho de 2012 acabaram em agosto de 2013. Foram anos de expansão e grandes investimentos no setor de energias renováveis. Os painel solar brotaram de telhados, campos agrícolas, estufas . Agora as coisas mudaram um pouco e os incentivos para 2017 existem apenas aqueles relacionados a deduções.

Portanto, quem pretende instalar um sistema fotovoltaico deve pensar em fazê-lo apenas para autoconsumir a energia produzida mesmo que ainda possa ganhar com a energia fotovoltaica . Infelizmente, é muito difícil fazer isso porque um módulo fotovoltaico produz eletricidade durante o dia, quando está ensolarado, e à noite é inútil. Para isso, você deve fazer os cálculos bem para entender a real comodidade de uma instalação.

Preciso fazer uma reforma em prédio para aproveitar os incentivos fiscais fotovoltaicos?

Não, a resolução 22e da ​​Agência da Receita de 2 de abril de 2013 estabelece isso claramente, o que esclareceu como as deduções podem ser utilizadas mesmo na ausência de reformas. No entanto, a planta deve ser usada para a produção de eletricidade para uso privado e, portanto, não deve ser revendida. Além disso, uma planta não deve exceder uma potência de 20 kw.

50% das despesas incorridas podem, portanto, ser deduzidas da declaração de imposto. Por exemplo, uma planta que custa 10 mil euros acarreta 5 mil euros em deduções, portanto 500 euros por ano durante 10 anos.

Além das deduções fiscais, também podemos aproveitar a chamada ” troca presencial “. A energia excedente produzida durante o dia e não utilizada para autoconsumo é enviada de volta à rede. A operadora de energia elétrica irá revendê-la em nosso lugar e nós “deduziremos” o lucro obtido com a energia elétrica que comprarmos durante a noite, quando nossa usina estiver improdutiva.

Integração arquitetônica

o problema de muitos edifícios é que eles estão localizados em centros históricos ou não têm espaço para instalar um sistema que ainda precisa de 7 metros quadrados por quilowatt. Neste caso existem excelentes soluções como as telhas fotovoltaicas que substituem as telhas. Também recebemos incentivos, ainda mais se substituirmos telhados de amianto por painéis solares.

Existem também outras maneiras de aproveitar o sol e produzir energia, como o uso de vidros fotovoltaicos que são montados verticalmente nas fachadas dos edifícios em vez de janelas normais. Neste caso, o desempenho é inferior porque são usados painéis de filme fino.

Ainda vale a pena?

absolutamente sim porque gastamos 6.000 euros por um sistema de 3 Kwp que sustenta uma família inteira e nos encontramos com energia livre e autossuficientes, ou quase, por tempo indeterminado. Um sistema fotovoltaico funciona mesmo depois de 30 anos..